Coringa – Projeto de Ouro

Coringa está localizada no norte central  do Brasil, no estado do Pará, 70 quilômetros a sudeste da cidade de Novo Progresso. O acesso à propriedade é feito por estradas pavimentadas (rodovia nacional BR-163) e de cascalho. Coringa fica na parte sudeste do distrito de ouro de Tapajós e a mineração artesanal em Coringa produziu cerca de 10 toneladas de ouro (322.600 onças) de fontes aluviais e primárias dentro da saprolita profunda ou partes oxidadas das zonas de cisalhamento sendo extraídas usando água de alta pressão, mangueiras ou mão-cobbing a profundidades de 15 metros. Além do funcionamento artesanal, nenhuma outra produção ocorreu em Coringa. A atividade de mineração artesanal cessou em 1991 e uma empresa brasileira local (Tamin Mineração Ltda.) Estabeleceu a área em 1990. Posteriormente, as concessões foram cedidas à Chapleau Resources Limited (“Chapleau”) (através de sua subsidiária brasileira, Chapleau Mineral y Exploração Ltda). em agosto de 2006. Em 1 de setembro de 2009, a Magellan Minerals Ltd. (“Magellan Minerals”) adquiriu a Chapleau. Entre 2007 e 2013, foram concluídos extensos programas de exploração na propriedade, incluindo levantamentos aéreos magnéticos, radiométricos e eletromagnéticos; levantamentos IP de superfície; amostragem de riachos, solo e rochas; e abertura de valas e perfuração de diamante (179 buracos para um comprimento total de 28,437 metros). Em 9 de maio de 2016, a Anfield Gold Inc. (“Anfield”) adquiriu a Magellan Minerals. A Anfield subseqüentemente completou um programa de perfuração de perfuração (183 furos para um comprimento total de 26.413 metros) para as veias de Serra e Meio em 2016 e 2017.

A Serabi adquiriu a Chapleau e seus ativos, incluindo Coringa de Anfield, em 21 de dezembro de 2017. A administração considera que Coringa é uma “cópia carbono” de Palito em termos de geologia, tamanho e operações de mineração que serão utilizadas.